11:58
0
Continuando a série de matérias sobre as normas ABNT para a área de Informação e Documentação, seguem algumas orientações quanto à elaboração de sumários. É muito simples elaborar um sumário, principalmente se você domina bem os recusros do Microsoft Word, por exemplo, ou outro editor de texto que ofereça geração automática de sumários. Porém, esta matéria não pretende se tornar um tutorial tipo "aulinha de informática" para ensinar como fazer isso nos editores de texto, e sim esclarecer o uso da norma. Para isso, é bom que você também conheça outra norma, a NBR 6024 - Numeração progressiva das seções de um documento escrito - Apresentação, da qual falaremos um pouco. Primeiro, vamos fazer a distinção entre sumário e índice, conforme a própria ABNT:

Sumário: Enumeração das divisões, seções e outras partes de uma publicação, na mesma ordem e grafia em que a matéria nele se sucede.

Índice: Lista de palavras ou frases, ordenadas segundo determinado critério, que localiza e remete para as informações contidas no texto.

Ficou claro, não foi? O sumário se refere às partes do trabalho: capítulos, seções, subdivisões., enumaradas na ordem em que aparecem no texto. Já o índice é uma lista de termos (palavras ou frases) que pode não estar organizado na mesma ordem em que aparecem no documento (os termos podem estar organizados alfabeticamente, por exemplo) e que remetem para dentro do texto. Por exemplo, uma listagem alfabética de palavras estrangeiras com as suas respectivas traduções e a localização daquelas palavras dentro do texto. Outro ponto importante: o sumário tem o seu lugar certo no documento: a) como último elemento pré-textual; b) quando houver mais de um volume, deve ser incluído o sumário de toda a obra em todos os volumes, de forma que se tenha conhecimento do conteúdo, independente do volume consultado.
Pronto, agora não se confune mais. Vamos à formatação do sumário, então.

Regras para a apresentação do sumário

1 - A palavra SUMÁRIO deve ser centralizada e com a mesma fonte (tamanho, cor, tipo de letra, grifo, enfim, seguir a mesma formatação) utilizada para as seções primárias (as seções primárias são aquelas que encabeçam os capítulos, por exemplo: 1 INTRODUÇÃO, 2 COMO NORMALIZAR UMA TESE. As subdivisões imediatamente ligadas a estas são as seções secundárias. Ex. 2.1 Como elaborar uma capa, 2.2 Como fazer um resumo. Uma nova subdivisão será chamada de seção terciária: 2.2.1 Resumo indicativo, 2.2.2 Resumo informativo. E assim sucessivamente.)

2 - A subordinação dos itens do sumário deve ser destacada pela apresentação tipográfica utilizada no texto. É aqui onde entra a NBR 6024 de numeração progressiva das seções. Ela diz que as seções do documento devem ter numeração e títulos tipograficamente hierarquizados. Isso significa dizer que o sumário é um espelho do que se passa dentro do texto. Se lá dentro do documento as seções estão formatadas assim, por exemplo:
1 INTRODUÇÃO
2 COMO NORMALIZAR UMA TESE
2.1 Como elaborar uma capa 2.2 Como fazer um resumo
2.2.1 Resumo indicativo
É exatamente assim que deve aparecer no sumário: seção primária em maiúsculas, itálico e negrito dentro do texto e igual no sumário. Seções secundárias em minúsculas, com itálico e sem negrito para marcar a hierarquia entre as seções, mesma formatação levada para o sumário. O mesmo para as seções, terciárias, quaternárias...

3 - Os elementos pré-textuais não devem constar no sumário. Não devem aparecer no sumário: Folha de rosto, Errata, Folha de aprovação, Dedicatória, Agradecimentos, Epígrafe, Resumo na língua vernácula, Resumo em língua estrangeira, Lista de ilustrações, Lista de tabelas, Lista de abreviaturas e siglas e Lista de símbolos.

Essas são orientações gerais a respeito da norma de sumários. Para baixar a versão desta e de outras normas que estão em vigor em 2009 clique aqui.