14:36
0
A norma a que se refere esta matéria está em vigor desde 2003, é a mais atual e trata sobre a apresentação dos elementos que constituem o artigo em publicação periódica científica impressa. A norma define artigo científico como "parte de uma publicação com autoria declarada, que apresenta e discute ideias, métodos, técnicas, processos e resultados nas diversas áreas do conhecimento." Artigo de revisão: "parte de uma publicação que resume, analisa e discute informações já publicadas." Artigo original: "parte de uma publicação que apresenta temas ou abordagens originais." Na verdade, a classificação se resume a duas categorias, pois os artigos científicos são ou de revisão ou originais. Quanto à definição de publicação periódica científica impressa, diz a norma: "um dos tipos de publicações seriadas, que se apresenta sob a forma de revista, boletim, anuário etc., editada em fascículos com designação numérica e/ou cronológica, em intervalos pré-fixados (periodicidade), por tempo indeterminado, com a colaboração, em geral, de diversas pessoas, tratando de assuntos diversos, dentro de uma política editorial definida, e que é objeto de Número Internacional Normalizado (ISSN)", ou seja, existe uma periodicidade definida que caracteriza o material como periódico, e pode ser semanal, mensal, quinzenal, trimestral, enfim, a periodicidade varia de acordo com o editor do periódico. O número internacional normalizado para esse tipo de material é o ISSN e não o ISBN, que é usado para publicações não periódicas.

ESTRUTURA DO ARTIGO

É constituída de elementos pré-textuais, textuais e pós-textuais.

Elementos pré-textuais (Elementos que antecedem o texto com informações que ajudam na sua identificação e utilização)

Os elementos pré-textuais são constituídos de:
a) título, e subtítulo (subtítulo se houver: informações apresentadas em seguida ao título, visando esclarecê-lo ou complementá-lo de acordo com o conteúdo da publicação). O título e subtítulo (se houver) devem figurar na página de abertura do artigo, diferenciados entre si tipograficamente ou separados por dois-pontos (:) e na língua do texto.
b) nome(s) do(s) autor(es). Nome(s) do(s) autor(es), acompanhado(s) de breve currículo que o(s) qualifique na área de conhecimento do artigo. O currículo, bem como os endereços postal e eletrônico, devem aparecer em rodapé indicado por asterisco na página de abertura ou, opcionalmente, no final dos elementos pós-textuais, onde também devem ser colocados os agradecimentos do(s) autor(es) e a data de entrega dos originais à redação do periódico.
c) resumo na língua do texto (apresentação concisa dos pontos relevantes do documento). Elemento obrigatório, constituído de uma seqüência de frases concisas e objetivas e não de uma simples enumeração de tópicos, não ultrapassando 250 palavras, seguido, logo abaixo, das palavras representativas do conteúdo do trabalho, isto é, palavras-chave e/ou descritores, conforme a NBR 6028 (norma para resumos).
d) palavras-chave na língua do texto (palavra representativa do conteúdo do documento, escolhida em vocabulário controlado). Elemento obrigatório, as palavras-chave devem figurar logo abaixo do resumo, antecedidas da expressão Palavras-chave:, separadas entre si por ponto e finalizadas também por ponto.
Exemplo:
Palavras-chave: Referências. Documentação.

Elementos textuais
Os elementos textuais constituem-se de:
a) introdução: Parte inicial do artigo, onde devem constar a delimitação do assunto tratado, os objetivos da pesquisa e outros elementos necessários para situar o tema do artigo.
b) desenvolvimento: Parte principal do artigo, que contém a exposição ordenada e pormenorizada do assunto tratado. Divide-se em seções e subseções, conforme a NBR 6024, que variam em função da abordagem do tema e do método.
c) conclusão: Parte final do artigo, na qual se apresentam as conclusões correspondentes aos objetivos e hipóteses.

Elementos pós-textuais (Elementos que complementam o trabalho)
a) título, e subtítulo (se houver) em língua estrangeira: também diferenciados entre si tipograficamente ou separados por dois pontos (:), precedem o resumo em língua estrangeira.
b) resumo em língua estrangeira: Elemento obrigatório, versão do resumo na língua do texto, para idioma de divulgação internacional, com as mesmas características (em inglês Abstract, em espanhol Resumen, em francês Résumé, por exemplo).
c) palavras-chave em língua estrangeira: Elemento obrigatório, versão das palavras-chave na língua do texto para a mesma língua do resumo em língua estrangeira (em inglês Keywords, em espanhol Palabras clave, em francês Mots-clés, por exemplo).
d) nota(s) explicativa(s) (usada para comentários, esclarecimentos ou explanações, que não possam ser incluídos no texto);
e) referências (elaboradas conforme a NBR 6023. Existe uma série de matérias sobre essa norma aqui neste blog. Digite na caixa de busca: NBR 6023);
f) glossário (elemento opcional): Lista em ordem alfabética de palavras ou expressões técnicas de uso restrito ou de sentido obscuro, utilizadas no texto, acompanhadas das respectivas definições;
g) apêndice(s) (texto ou documento elaborado pelo autor, a fim de complementar sua argumentação, sem prejuízo da unidade nuclear do trabalho). Elemento opcional. O(s) apêndice(s) são identificados por letras maiúsculas consecutivas, travessão e pelos respectivos títulos. Excepcionalmente utilizam-se letras maiúsculas dobradas, na identificação dos apêndices, quando esgotadas as letras do alfabeto.
Exemplo:
APÊNDICE A – Avaliação numérica de células inflamatórias totais aos quatro dias de evolução
APÊNDICE B – Avaliação de células musculares presentes nas caudas em regeneração
h) anexo(s) (texto ou documento não elaborado pelo autor, que serve de fundamentação, comprovação e ilustração). Elemento opcional. O(s) anexo(s) são identificados por letras maiúsculas consecutivas, travessão e pelos respectivos
títulos. Excepcionalmente utilizam-se letras maiúsculas dobradas, na identificação dos anexos, quando esgotadas as letras do alfabeto.
Exemplo:
ANEXO A – Representação gráfica de contagem de células inflamatórias presentes nas caudas em regeneração – Grupo de controle I (Temperatura...)
ANEXO B – Representação gráfica de contagem de células inflamatórias presentes nas caudas em regeneração – Grupo de controle II (Temperatura... )

Nota(s) explicativa(s):
A numeração das notas explicativas é feita em algarismos arábicos, devendo ser única e consecutiva para cada artigo. Não se inicia a numeração a cada página.

Indicativo de seção
O indicativo de seção precede o título, alinhado à esquerda, dele separado por um espaço de caractere.

Equações e fórmulas
Aparecem destacadas no texto, de modo a facilitar sua leitura. Na seqüência normal do texto, é permitido o uso de uma entrelinha maior que comporte seus elementos (expoentes, índices e outros). Quando destacadas do parágrafo são centralizadas e, se necessário, deve-se numerá-las. Quando fragmentadas em mais de uma linha, por falta de espaço, devem ser interrompidas antes do sinal de igualdade ou depois dos sinais de adição, subtração, multiplicação e divisão.

Ilustrações
Qualquer que seja seu tipo (desenhos, esquemas, fluxogramas, fotografias, gráficos, mapas, organogramas, plantas, quadros, retratos e outros), sua identificação aparece na parte inferior, precedida da palavra designativa, seguida de seu número de ordem de ocorrência no texto, em algarismos arábicos, do respectivo título e/ou legenda explicativa de forma breve e clara, dispensando consulta ao texto, e da fonte. A ilustração deve ser inserida o mais próximo possível do trecho a que se refere, conforme o projeto gráfico.
Download da BNR 6022 no 4Shared.
Agora que você já sabe de tudo, mãos à obra!
Você pode dar um pitaco comentando logo abaixo.

*******
Acesse este blog no browser do seu celular: http://hamiltont.mofuse.mobi/