15:00
0
Inclusão é a palavra de ordem, seja social, digital... É algo que vem sendo muito discutido ultimamente e não se pode deixar de fazer a relação desses termos com este outro: Acessibilidade. Para garantir acessibilidade informacional a todos os indivíduos indistintamente, pois todos têm direito à informação, temos de nos preocupar com questões que vão desde a localização geográfica da unidade de informação, os valores cobrados pela prestação dos serviços, instalações físicas (pensando na acessibilidade motora dos usuários) e também na forma ou formato em que os materiais informacionais se apresentam. Quanto à forma/formato dos materiais, devemos ser capazes de responder positivamente a perguntas como: isso pode ser "lido" (acessado) por um cego? Um deficiente físico consegue chegar e entrar neste ambiente sem dificuldades? Pensando nessa perspectiva, o ministro da educação, Fernando Haddad, lançou na quarta-feira, 24, em Brasília, a nova tecnologia Mecdaisy: um conjunto de programas que permite transformar qualquer formato de texto disponível no computador em texto digital falado. A ferramenta está disponível gratuitamente no portal do ministério.

“Agora, além de ler o livro, posso me localizar no livro”, disse o aluno de pós-graduação da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Neno Albernaz. “Hoje, me sinto lendo um livro da mesma forma que fazia quando enxergava”, completou.

Baseado no padrão internacional Daisy - Digital Accessible Information System -, a ferramenta brasileira traz sintetizador de voz (narração) e instruções de uso em português brasileiro. O software permite converter qualquer texto em formato Daisy e, após a conversão, é possível manusear o texto sonoro de maneira semelhante ao texto escrito. “O Mecdaisy permite que o usuário folheie, consulte o índice, pesquise, faça comentários”, enumerou o analista de sistemas da UFRJ, João Sérgio Assis, que participou da equipe de desenvolvimento da ferramenta.

“Pelo depoimento de quem usa, sabemos que as pessoas com deficiência terão a disposição facilidades para manusear livros de maneira mais proveitosa”, afirmou o ministro Haddad.

Por meio do acesso ao Mecdaisy, qualquer pessoa com o mínimo de conhecimento em computação pode produzir livros digitais falados e ler as obras com mais autonomia. “Esse é um passo importante para fortalecer a educação inclusiva porque a ferramenta permite o manuseio do livro falado e navegabilidade simplificada”, sintetizou Haddad.

Leia a matéria completa de Maria Clara Machado.

Acesse aqui o instalador do MEC/DAISY

Você pode dar um pitaco comentando logo abaixo.

*******
Acesse este blog no browser do seu celular: http://hamiltont.mofuse.mobi/