14:55
1

Não se tata de fazer elogios ao programa. Também não vou criticá-lo ou ao seu apresentador, que por sinal, tem se mostrado muito talentoso. Mas queria deixar registrado aqui o que penso sobre o programa e a forma como ele acontece todos os anos. Ele se mostra uma atração multifacetada e adequada a toda a família, de fato. Começa como um show de humor, comédia mesmo, quando corremos pra frente da TV para ver os tais "coxises" pagarem mico. É realmente hilária essa fase do programa: para muitos, a melhor. 
Depois disso vem a fase do show de calouros, quando realmente entra a música no programa. Os candidatos cantam e alguns encantam. Quem gosta de música se identifica com essa fase do Ídolos.
Daí vem a parte mais frustrante: o concurso de beleza. É quando os jurados não podem mais decidir quanto à permanência dos participantes do programa e a decisão fica nas mãos do público. Quem se identificou com a parte musical ou com algum dos candidatos a ídolo deve se conformar agora. Para eles o show acabou. Agora o público é quem vota e decide quem fica e quem sai, e claro, o grande público não entende de música e sempre vota no candidato mais bonitinho ou mais bonitinha. Foi assim em todas as edições do Ídolos. O talento musical deixa de ser o fator determinante da permanência dos candidatos no programa. Os telespectadores elegem um fofinho queridinho ou fofinha queridinha e pronto: não importa se cantou bem ou mal. É essa pessoa que vai ganhar! Observem o que aconteceu nos anos anteriores e verão que o que estou dizendo é verdade. Alguém tem dúvida sobre quem vai ganhar este ano? Eu já sei.