O artigo teve como objetivo analisar a percepção dos bibliotecários acerca da própria qualidade de vida no trabalho, assim como traçar o perfil desses profissionais. O trabalho posiciona do ponto de vista teórico, o trabalho do profissional de biblioteconomia, a qualidade de vida: sua importância e benefícios e o modelo teórico de Walton (1973). A escolha desse modelo decorreu da sua complexidade em relação aos demais modelos de qualidade de vida no trabalho. Na metodologia utilizada está presente aplicação de um questionário estruturado a partir dos critérios e indicadores propostos no Modelo de Walton (1973). A população abordada e tida como referência do estudo é composta por bibliotecários cadastrados no Conselho Regional de biblioteconomia, atuantes no estado do Ceará. A amostra pesquisada é constituída por 103 bibliotecários. Os dados estatísticos descritivos foram tratados com auxílio do Microsoft Excel. Evidenciou-se que estes profissionais estão satisfeitos na maior parte das categorias identificadas no modelo teórico de Walton. Em contrapartida, demonstraram insatisfação nas categorias compensação justa e adequada e condições de trabalho, sendo evidenciada em sua totalidade a insatisfação dos bibliotecários nessa última categoria. 

Palavras-chave: Qualidade de vida no trabalho. Profissional de biblioteconomia. Modelo de Walton. Trabalho informacional. Bibliotecários – Atuação.

Texto completo aqui.