Resumo do artigo: As linguagens documentárias, com o intuito de facilitar o acesso ao documento por parte do usuário, configuram-se em um complexo sistema de representação do conhecimento. Entretanto, com a constante expansão dos vários ramos do saber e, por conseguinte, de suas publicações, surge a necessidade de desenvolver notações para classificar novos temas ou simplesmente melhorar a representação quanto a sua especificidade. Diante deste fenômeno, o presente artigo visa fazer um levantamento e uma análise de propostas de expansão da Classificação Decimal Universal e da Classificação Decimal de Dewey, com o fito de demonstrar não só a viabilidade da ampliação de quaisquer classificações previamente existentes, mas, principalmente, de manter atualizadas as classificações bibliográficas, cujo intuito é representar o conhecimento e, se este se modifica, é importante que as classificações sigam em paralelo. Para viabilizar o presente artigo, fez-se uma pesquisa bibliográfica para identificar e analisar propostas de expansão/atualização dos sistemas de classificação bibliográfica já existente, mais precisamente as de Carvalho e Holanda (para a área do Direito), Tabosa e Cardoso (coelhos de raça) e Albuquerque (literatura popular e de cordel). Este trabalho não tem a pretensão de solucionar as possíveis vacâncias nas classificações bibliográficas, mas de sensibilizar o leitor para a importância da atualização contínua nessas representações, com o objetivo de manter o usuário em constante condição de localizar a informação de que precisa com maior facilidade, uma vez que a ciência e a sociedade estão em constante transformação, o que exige dos instrumentos e técnicas utilizados para representar informação flexibilidade e adaptabilidade.